Acusado de matar a esposa e a enteada, Wanderson Mota, o ‘novo Lázaro’, é encontrado morto em presídio

  

Na manhã desta terça-feira (18), o criminoso Wanderson Mota Protácio, de 21 anos, que ficou conhecido como “novo Lázaro” após fuga e perseguição policial que durou quase uma semana em Goiás no ano passado, foi encontrado morto no presídio onde ele estava preso.

Wanderson estava detido no Núcleo de Custódia que fica no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital, e que é conhecida como a unidade de segurança máxima do estado.

Segundo a assessoria de comunicação da Diretoria Geral de Administração Penitenciária (DGAP), o caso, a princípio, é tratado como suicídio. O rapaz teria se matado com um lençol amarrado no pescoço, mas só a perícia será capaz de atestar o real motivo.

Ele estava sozinho na cela, conforme a DGAP, e foi encontrado por volta de 7h20, no momento em que foram entregar para ele o café da manhã.

Wanderson não respondeu o chamado do servidor do presídio para pegar a refeição. Policiais penais adentraram a cela e o encontraram já morto. O Instituto Médico Legal (IML) foi acionado para fazer a retirada do corpo.

Matou a mulher e a enteada

O rapaz ficou conhecido por matar a facadas a companheira Raniere Aranha Figueiró, de 19 anos, e a filha dela, Geysa Aranha Rocha de Souza, de 2 anos, além de um fazendeiro na região de Corumbá de Goiás, no Entorno do Distrito Federal. O triplo homicídio ocorreu no dia 28 de novembro.

Em seis dias de buscas pelo caseiro, a ação policial circulou por diferentes pontos no território goiano. À procura do foragido, forças de segurança se espalharam pela área entre Alexânia e Abadiânia e, posteriormente, se deslocaram para Gameleira de Goiás, já bem próximo a Anápolis e Goianápolis.

Ele foi preso na manhã do dia 4 de dezembro em Gameleira de Goiás, após se entregar à polícia. A rendição foi intermediada por um casal que vive na zona rural da cidade, que fica a 100 Km de Goiânia.

Com informações do Metrópoles

Postar um comentário

0 Comentários